0

Mandalando…

p20140213-201535

Nos últimos tempos venho aprendendo a arte de mandalar com meus amigos com o dom artístico e como é uma arte mística, repleta de simbolismos em suas cores e formas. Achei muito interessante e decidi compartilhar o ensinamento.

A mandala, também conhecida como círculo mágico, é utilizada em práticas meditativas e de autoconhecimento, e leva a iluminação e alcanço da divindade. Ela revela-se espontânea, a partir da junção de todos elementos e seus significados, e podemos direcionar o que almejamos na escolha de uma Mandala.

AS CORES
A combinação das cores está totalmente envolvida com o momento em que a pessoa fez a mandala, com relação ao que acontece no seu dia-a-dia, porque a cor revela o nosso “eu” interior. As cores tem função altamente estimulante e terapêutica e tem um significado atrelado:

  • Vermelho: afasta a depressão e desânimo. Também está relacionada ao poder no plano material;
  • Amarelo: cor da inteligência, estudo e da criatividade;
  • Azul: traz paz, harmonia e serenidade;
  • Laranja: cor da reconstrução, correção e da melhora;
  • Verde: melhora o estado físico e cura o corpo e a alma quando está abatida;
  • Lilás: evita que as energias indesejadas se instalem. Simboliza espiritualidade, artes e beleza.
  • Rosa: simboliza o amor incondicional, doação, compaixão e bondade. É a cor da união.

AS FORMAS
Cada parte da mandala possui um simbolismo:

  • Espaço interior: onde são desenvolvidas as formas, é sagrado, enquanto aquilo que está fora desse espaço é profano;
  • Ponto central: representa a divindade, a fonte de toda a criação;
  • O desenho da mandala: tem quase sempre uma estrutura geométrica que divide o espaço em porções simétricas. A emanação das figuras geométricas e do número de divisões do espaço determinam a chamada “vibração da mandala”.

O processo para absorver a energia emanada pelas mandalas é muito simples, é o processo de observação. É necessário que esteja em um ambiente tranquilo e fique concentrado na mandala, “permaneça olhando quanto tempo quiser. Se ficar cinco minutos, irá se sentir bem e em harmonia. Se ficar 15 minutos, irá restaurar sua energia interior e exterior. Se ficar 30 minutos, bem concentrado no desenho, provavelmente acabará meditando com a ajuda da mandala”, finaliza Celina Fioravanti.

Agora o mais legal é o ato de oferecer uma mandala. É um voto de bem-querer,  gratidão e reconhecimento. Trata-se de um gesto de generosidade espiritual e sentimentos nobres. É efetivamente desejar a quem se oferece o mesmo que desejamos para nós próprios, uma vez que a Mandala é uma exteriorização da nossa essência.

0

Um tanto quanto pessoal

Quando escrevo me imagino como um personagem de Edward Hopper, sentada no Phillies, e escrevo como se as palavras colocadas no papel possam ser queimadas e retiradas do pensamento e do coração. Peço como se fosse uma oração que tudo isso que se queima quando escrevo saia do meu coração e me ensine sem ego, sem mágoa a encontrar meu caminho, a encontrar a pureza e a viver plenamente em amor.

Decidi tornar este blog um tanto quanto pessoal, pois acho estranho dividir o que sou do que é meu trabalho. AMEOPOEMA é essencialmente uma forma de me expressar, antes de ser um projeto, portfolio ou qualquer coisa assim, então relaxe, se você achar que caiu em um conto de fadas (ou uma novela mexicana) ao ler o AMEOPOEMA é só eu mesma que sou mil influências e sentimentos me expressando.

 

0

Zen Pencils, os cartoons inspiradores

zenpencil-brain

Em 2012, surgiu o Zen Pencils, um blog que adapta citações famosas e inspiradoras em histórias em quadrinhos. Já venho acompanhando o trabalho a um tempo, mas parei para ler sobre o autor e fiquei mais inspirada, pois admiro muito quem larga tudo para fazer o que tem paixão.

Gavin Aung, designer gráfico, largou o emprego que estava há 8 anos em 2011 para se arriscar na sua paixão que é ilustração e cartoon. Um ano depois ele lançou o Zen Pencils, que desde então é cada vez mais reconhecido e está para ganhar versão impressa. No Brasil, os quadrinhos ganharam sua versão traduzida no Outros Quadrinhos  para quem quiser acompanhar.

0

doismilicrazy

img-doizmilicrazy1

A verdade é que eu estou agradecendo que finalmente doismilicrazy está no fim, porque foi na real um ano muito intenso e principalmente um ano de adeus. Adeus a velhos hábitos que levavam a lugar nenhum e pessoas que estavam me derrubando.

Agradeço, pois quando mais me senti desnorteada o apoio dos meus amigos e da minha família. Eu não sou uma pessoa suuuuper independentchí, pedir ajuda é muito difícil para mim e foi nesse momento que aprendi a fazer isso e que me ensinou também que muitas vezes eu não preciso. Quem esta do meu lado já se manifesta vendo quando eu preciso. Foi um ano de muitas bombas explodirem, de pedir por um novo comportamento, mas principalmente de muita reflexão e recomeço.

2013 me mostrou mais uma vez a importância dos meus irmãos/amigos/família, que vem crescendo há algum tempo e sempre se fortalecendo mais. Essa família que me apoia, mas principalmente que me mostra o caminho, porque são um exemplo dentro daquilo que busco pra minha vida. Mais uma vez: Gratidão!

Que 2014 todos abram a porta do autoconhecimento, que o homem pratique a compaixão por todos os seres e que deixe um pouco as palavras de lado e comece a agir! Que amem e compartilhem o amor! Que pratiquem apenas o bem e se entreguem para a energia que nos reina.

Que em 2014 todos os seres sejam felizes!

0

Thomas Lamadieu e a Sky Art

Imagem

O céu sempre foi uma porta para ascensão da criatividade, acho que não só para mim. Vou longe olhando para o céu, suas cores, formato de nuvens, de forma separada ou todo o conjunto, é uma brincadeira bem legal.

O francês, Thomas Lamadieu, no mínimo, vive na mesma brisa que eu, ele criou o trabalho Sky Art olhando para o céu de uma perspectiva diferente, que na verdade a gente nunca repara muito: entre os prédios e todas construções cinzas do dia a dia, esconde-se um pedacinho de céu. Ele fotografa isso e nesse espaço ele ilustra personagens que completam a cena.

Imagem

0

O irônico mundo que vivemos por Pawel Kuczynski

Pawel Kuczynski nasceu em Szczecin, na Polónia e é graduado na Academia de Belas Artes com especialização em gráficos. Ele já ganhou 92 prêmios nacionais e internacionais em caricatura e ilustração.

A partir do momento em que você conhece o trabalho do astista, é difícil não reconhecer uma obra dele e principalmente ser indiferente as suas ilustrações. Com reflexões como “Eu acho que os artistas podem mudar tudo”, as ilustrações de Kuczynski são reveladoras, aquele tipo de arte que incomoda e gera reflexões.

O trabalho do artista é uma inteligentíssima critica social e cutuca nossa sociedade, questiona a hipocrisia humana e a inversão de valores, os governos, a mídia, a economia, a pobreza, o trabalho infantil, a desigualdade social entre outros temas.

Suas ilustrações são realmente reveladoras. Usando lápis, aquarela e Kuczynski argumenta que tenta converter desenhos comentar sobre a condição humana. Com um golpe simples, forte e universal, carregado de crítica social e ironia, que vai surpreender mesmo. Em sua obra, o artista critica o mundo político, social, econômico e ambiental que nos rodeia. Seus desenhos, com um toque de imaginação, refletem a vida de um ponto de vista satírico, atingindo até situações absurdas através de um estilo muito original e distintiva do desenho.

0

The Acrobat Sublime

photographs-photo8

Quem me conhece sabe que eu amo nudismo, para mim é extremamente natural e belo quando feito naturalmente e visto sem a conotação sexual. Já postei sobre o Spencer, mas depois dele me apaixonei (e me apaixonei em dobro) pelo projeto “Private Acts: The Acrobat Sublime” do fotógrafo Acey Harper.

As imagens são extremamente delicadas e sedutoras. É pura poesia! Mostram a habilidade e equilíbrio de acrobatas em diversos ambientes. Quase parece irreal, mas para provar que não é feitiçaria, Harper apresenta as imagens sem photoshop.